quinta-feira, 15 de abril de 2010

PARA QUE SERVEM OS OLHOS?


E porque não te vejo,
sinto o escuro da alma como um manto,
apagar o que resta do sorriso inventado por ti.
Sinto a falta de quem não conhecendo falta nenhuma me fazia
e agora, perdendo o que não tive,
sinto a ausência do que é vital, fulcral em mim,
mais que metade do que fui ou poderia ainda ser,
porque tu és sopro de vida,
razão que a razão não explica, cor,
essência: tudo!,
porque se não te tenho não tenho nada
e se não te vejo
para que servem os olhos?

12 comentários:

  1. "porque se não te tenho não tenho nada
    e se não te vejo
    para que servem os olhos?"

    Haverá alguma coisa a dizer a tamanha sabedoria e amor!Lindo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tão lindo, Miguel!
    Diz a sabedoria popular que "o que os olhos não vêem o coração não sente", eis aqui a prova do contrário.Aquilo que os olhos não vêem o coração sente afinal.

    hoje deixo-te o meu olhar atento e carinhoso e um beijinho no nariz. :)

    ResponderEliminar
  3. Miguel,
    Muito sentido e profundo este poema, com um sentido que nos deixa a reflectir e questionar muito do que sentimos em tantos momentos.
    "...porque se não te tenho não tenho nada
    e se não te vejo para que servem os olhos?"
    Algo que toca profundamente, revela a tamanha beleza de um amor.

    Obrigada pelas visitas e, pelas palavras.

    Abraço de Luz

    ResponderEliminar
  4. Miguel, a falta e a angustia que essa pessoa te faz transborda em teus poemas, as vezes gosto, as vezes me deixa triste por ti, gosto pela inspiração que isso proporciona e os belos versos nascem, mais causa uma tristeza a mim quando percebo e cai na realidade de emoções que te leva a escrever assim, está lindo...

    Beijos, Ketty

    ResponderEliminar
  5. Olá Miguel
    Que palavras brilhantemente conseguidas para dizer que 'procura, mas não encontra'...
    Às vezes idealizamos partilhar a vida com almas parecidas... muitos de nós não conseguimos concretizar esse sonho, mas em cada ser que amamos, está lá um bocadinho de nós...
    bjinho
    mmoura

    ResponderEliminar
  6. Fê-blue bird - obrigado pelas palavras, realmente, o amor é dos melhores sentimentos que podemos ter e a visão um dos mais importantes, senão o mais importante dos sentidos. Beijinhos.

    Maria - a sabedoria popular às vezes não é tão sábia como parece, já que o coração, não tendo olhos, enxerga por vezes mais longe do que o olhar, a quem tantas vezes escapa o óbvio, o que está debaixo do próprio nariz, ao alcance das mãos. Beijinhos no nariz.

    Luz - claro que nem sempre é bem assim, nem todos os amores são como os dos poemas ou a dor tão intensa como as palavras por vezes sugerem, mas a via/a razão tende a proteger-nos do embalo desvairado do coração, para quem a vida deveria ser absoluta, intensa, total. Felizmente existe um meio termo e os olhos são-nos igualmente úteis, mesmo que sem um grande amor à vista. Forte abraço.

    Ketty - Fico feliz quando as palavras conseguem o seu principal objectivo de, não só chegar mais longe como ainda de tocar nos sentimentos das pessoas. É nos momentos de maior felicidade ou tristeza que as palavras geralmente me procuram e eu deixo usarem-me da mesma forma que as uso, pelo prazer que elas me proporcionam. É com elas que abro as minhas janelas e deixo o ar entrar, enquanto a tristeza se desvanece - por momentos - como uma nuvem afastada pelo vento. Bjs.

    Maria Moura - "Procuro e não te encontro" soa-me um bocado ao saudoso Tony de Matos, tão romântico nas suas letras como eu tento por vezes ser nas minhas. É verdade o que falas de deixarmos um bocadinho de nós em cada pessoa que amamos, pelo que o nosso coração dificilmente é como o desenhamos nos cadernos, tão redondinho e perfeito. Não, isso seria como uma criança com uma bola novinha, com a qual não jogasse por medo de a estragar. O coração deve ser usado e abusado, esburacado de bocados de nós que deixámos em outros corações, remendados por bocados de outros corações de quem passou e deixou sempre algo em nós, memórias que o tempo não apagará nunca. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Os olhos da alma jamais se fecham... mas se os olhos que estão desenhados na nossa face se fecharem, talvez não consigamos ver um novo amor que se aproxima...
    Às vezes é preciso fechar as portas do passado e abrir as janelas à primavera que quer entrar...

    ResponderEliminar
  8. Miguel;
    Tem no meu blogue " Sonhos de menina" um carinho especial para si:
    Aproveite-o como desejar!
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  9. Serviria o alcance da visão, mais que o simples olhar que não houve, em silencio, como um todo.
    Lindo o teu texto, sentido.
    Um abraço imenso e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  10. os olhos.... são as torneiras da alma

    gostei de passar aqui

    bj
    teresa

    ResponderEliminar
  11. Miguel, as tuas palavras são um espelho do que já vivi. beijo

    ResponderEliminar