domingo, 7 de fevereiro de 2010

SONHO E SONHADOR

Foste a minha revolução dos sentidos,
o despertar, o meu grito de liberdade,
o sonho impossível enfim realizado,
a porta aberta por mim fechada
a tantas outras páginas
de um livro que ficou por escrever.
Foste o dia presente,
o sonho diário de cada noite,
o motivo de cada acordar, a culpa
de se esgotar o dia em 24 horas
e mesmo assim parecerem poucas.
Foste o sorriso fácil dos dias felizes,
a fé e o futuro, as promessas
que o vento levou p'ra longe.
Hoje definho na ausência,
alimento-me de memórias,
mutilo-me sadicamente em desejos irrealizáveis,
perdi a vaidade e o orgulho recentes,
perdi o norte e a vontade de seguir,
sou livre...
mas sem ti não sei
ou não quero
voar.

5 comentários:

  1. Se não queres voar, caminha...
    Mas caminha a passos largos...
    Não pares!
    Não percas a vaidade!
    Não percas o orgulho!
    Não te percas a ti!
    Continua!
    E não continues o caminho porque eu que sou ninguem te digo isso...
    continua por TI...
    Só assim faz sentido!
    ...
    Bjs dos Alpes...

    ResponderEliminar
  2. ola miguel,passo a deixar-te um beijo...e empresto-te as minhas asas para que nao deixes nunca de querer voar...

    Beijo meu




    PS-estou em convalescença,impedida de digitar....volto assim que for possivel

    ResponderEliminar
  3. Miguel
    Belissimo e triste poema.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  4. As vezes nossas asas nos levam a lugares que não gostariamos mais de ir, parecem ter vontade propria, e acabamos mergulhando num céu de recordações das quais a gente lembra e quer que seja para sempre, que suas asas, não se desprendam de você que sua magnifica inspiração profunda faça com que tuas asas voem mais longe do mundo e como sempre mais próximo d'alma.

    Lindo Poema Miguel!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. amei!bem estruturado seu blog,pura sensibilidade...Parabéns!Bjo

    Bea

    ResponderEliminar