segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

OUTUBRO DE 2004 ATÉ AOS NOSSOS DIAS


Acabaram-se os livros guardados na gaveta, onde as minhas poesias repousavam numa camada fina da poeira do tempo. A tempo, felizmente, consegui resgatá-los, em boa hora, graças à sugestão de um colega mas principalmente um amigo, que me trouxe a partilhá-los convosco, a fazer ouvir todo o silêncio da minhas palavras outrora mudas. Em boa hora, repito, - consciente de que provavelmente as ausências serão um pouco mais longas entre as postagens, à boleia dessa tal de inspiração e da imprevisibilidade dum tempo muitas vezes passado a correr, na crença de que muito existe ainda por viver para lá das palavras -, mas com a certeza de que continuarei por aqui, de caneta nas mãos (ou as mãos no teclado), pois este espaço há muito deixou de ser meu para ser de todos vós também. Vocês que passaram, que passam ainda por aqui, são a razão de ser deste espaço. Mais do que visitantes são amigos, mais do que isso vocês são hoje a minha inspiração. Obrigado!

Sem comentários:

Enviar um comentário