quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

VIAGENS

Sigo a estrela lá no céu
à procura do meu eu,
sigo por essa ponte sem portagem
até à virgem no altar,
procuro luzes de calmaria
em olhares apagados
cheios de nada
do muito que lhes vai na alma.
Procuro-me
em lugares onde nunca estive
e que jamais irei esquecer,
procuro o perdão do pecador,
essa voz em mim que fala de amor.
Perde-se a gaivota no horizonte
mas nunca o horizonte em si;
procuro e encontro - dentro de mim
a delicadeza da pedra mais dura,
a esperança no infortúnio,
o raio de sol na tempestade,
todos os arco-íris da vida, poesia
que Tu escreves sem papel.

1 comentário:

  1. Que posso eu dizer? A foto é excelente, só um grande fotografo poderia procurar este enquadramento.

    ResponderEliminar