quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

SEM AMOR NÃO VIVA


Amar sem amor
tanto amor para nada
e quase nada poderia... ser tanto
tanto que bastava.
Amar amor assim
dum desamor que mata
e eu sem amor não viva
se amar-te não possa
se amar-te... não deva.

Sem comentários:

Enviar um comentário