segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

SÃO SEUS OLHOS

São seus olhos, senhora
por quem os meus se rendem
são seus olhos jóias que venero
mais ainda do que se meus fossem,
são seus olhos mil e uma batalhas
perdidas no campo em glória
são seus olhos serenos, perenes
por quem os meus choram copiosos
afogados num rio seco sem palavras
escolhos com que vossa frieza me atinge,
são seus olhos, senhora
tão amargos meu doce cárcere
onde o meu coração pulsa galopante
por sua própria vontade cativo.

Sem comentários:

Enviar um comentário