segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

POUCO MAIS RESTA

... do Verão passado
nem mesmo a lembrança.
... dos momentos felizes
o tempero amargo da separação.
Pouco mais resta. Pouco mais resta
dos dias curtos e das noites sem fim.
Resta a certeza, pouca.
Sei que sem ti nada sou
e que junto a ti pouco mais
que um pedaço de alguém
que não me vê mais.
Pouco mais resta
das nossas conversas de cariz filosófico
que só eu levava a sério.
... dos nossos sermões da montanha
onde tu fingias aprender
e eu julgava ensinar. Aprendi.
Tinhas razão, pouco mais resta
dos planos construídos a dois
dos sonhos em comum
do Verão que passou, das conversas
e do resto.

Sem comentários:

Enviar um comentário