domingo, 10 de janeiro de 2010

O MOMENTO


Agarra o momento
a duas mãos, fortes.
Abraça o sonho, segura-te
nas asas de um anjo em queda,
louro, com cara de menino.
Agarra o segundo
o mísero instante,
suspende o sentimento
esse sagrado momento
em que o teu olhar brilha
cria vida, chora
lágrimas de salgada esperança.
Dura pouco, tão pouco
e gasta-se uma vida inteira
à procura dum alento
dum momento.

Sem comentários:

Enviar um comentário