segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

NÃO TE QUERO


Se eu soubesse sonhar sonhava-te
se eu soubesse amar amava-te,
mas eu já não sonho
eu já não amo, vivo ou luto
eu simplesmente aceito
(o que a vida já não me quer dar).
Vivi na ânsia de sonhos dourados
embriaguei-me em ilusões desfeitas
escritas a sangue p'la amarga pena do destino.
Por isso não te quero amar
não te quero querer
embalada nos braços duma ilusão.
Por isso não quero nem sonhar,
e porque não sonho não vivo
e porque não vivo não sofro,
não sofro porque não te quero
e se não te quero perco-te
e se te perco...

não me encontro.

Sem comentários:

Enviar um comentário