sábado, 16 de janeiro de 2010

JUNTINHO AO CORAÇÃO


Tenho-te perto, tão perto
quando m'invento nos teus sonhos
quando t'invento nos meus braços

Esqueço a distância dos metros
esqueço a distância dos nossos anos
esqueço a distância dos costumes
esqueço a distância das palavras

da palavra escrita à palavra falada
de Roma a Meca com asas nos pés, perco
a idade da razão, quando te tenho perto
tão perto, à esquerda do meu peito, bem juntinho
ao coração!

Sem comentários:

Enviar um comentário