quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

EGOÍSMO


Não tomes o meu desejo por amor
nem tão pouco o meu amor como certo,
que o amor é uma dose indeterminada
de loucura e heroísmo, fervendo
nas águas turvas de um lume brando
num impreciso mas vasto travo

De egoísmo.

2 comentários:

  1. Fiquei parada,com os olhos turvos pela emoção ao ler-te...em todo o meu egoísmo, rodeio-me de pensamentos querendo acreditar que o querer que embacia a minha nudez é o mesmo querer que turva os seus olhos quando se lembra de mim...devaneios.

    Beijo meu

    (Carla)

    ResponderEliminar
  2. Nas palavras, nos sonhos e nos sentimentos, todos os devaneios são permitidos.

    ResponderEliminar