domingo, 10 de janeiro de 2010

DOENÇA

Somos dois anjos em queda livre
na pradaria dos sonhos,
a carne inflama de desejo
que implora mais que um beijo,
como flor que desabrocha
da menina que foi à mulher que é agora.
Transpira alegria
num acto todo ele de magia;
a sua linguagem outrora branda e doce
é agora a dos cantos sujos
deste mundo em que nos amamos;
é a da poeira que a estrada levanta
e se impregna em nós
como doença que não tem mais cura.

Sem comentários:

Enviar um comentário