terça-feira, 26 de janeiro de 2010

CORRO E DESESPERO


Nos tempos que correm já mal espero
corro e desespero
por quem não vem, por quem não vai,
simplesmente me procura
na altura e no momento
em que mais lhe convém.

5 comentários:

  1. Passei, gostei dos poemas, fiquei.
    Lindos poemas.

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. Sei que não sou o destinatário, mas...confesso que eu procuro a tua escrita, egoístamente, para me encontrar cmg mesma...revejo-me na tua escrita, percebo-me melhor ao ler-te...e quem sabe me perdoe um dia.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Sonhadora, obrigado pelas palavras e pelo elogio àqueles que são, mais que poemas, sonhos. Ainda bem que conseguem cativar a atenção de uma sonhadora.

    Carla, parece que já nos entendemos quase sem precisar de palavras. As palavras não são de quem as escreve, nem daquele ou daquela a quem são dirigidas. Existem para transmitir sentimentos universais, para nos dar a capacidade de sonhar, para serem partilhadas. Será sempre um gosto que as procures e que as uses da forma que melhor te aprouverem, se de alguma forma puderem ajudar. Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Os encontros e desencontros extraordinários, não programados, são o sal da vida.
    Nada de desesperos...

    ResponderEliminar
  5. Miguel,
    O sentir que aqui se sente, que é transmitido neste momento tocou-me particularmente, talvez porque também corro e desespero..., mas é também desta forma que crescemos e somos maiores.
    Obrigada pelas palavras deixadas num dos meus espaços e, perceber que nos sabem ler e compreendem o que estamos a dizer com as nossas palavras, o que estamos a transmitir.

    Abraço de Luz

    ResponderEliminar