terça-feira, 12 de janeiro de 2010

CARA A CARA


Por vezes surpreendo-me e assusto-me
quando me encontro cara a cara
uma pessoa sem o mínimo de sensibilidade
egoísta, incapaz de um gesto de ternura
ou compaixão sem segundas intenções;
uma pessoa com uma enorme necessidade de afecto
mas demasiado orgulhoso para partilhar
todos os seus receios e dúvidas
com alguém que não o próprio ego.

Sem comentários:

Enviar um comentário