quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

PERDIÇÃO

Perco-me em sorrisos sem sentido
em pequenos pormenores, no brilho desses olhares
que derramam mágicas lágrimas
nas quais eu me afundo sem mácula,
nessa boca que antevejo com deleite.
E encontro-me nesse corpo, qual feitiço
que esconde e desperta em veladas promessas
e me desespera, m'inspira suaves carícias
à luz duma chama por acender;
Em tuas mãos as minhas brincando
desejando, desvendando segredos, montanhas
vales qu'inebriam e me deixam por ti acordado a sonhar.
Deixo-me então levar, criança que faz birra
por um brinquedo que deseja e não tem,
pos se tivesse, encontraria em ti o céu
e aí, me tornaria eu pecador.

Sem comentários:

Enviar um comentário