segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

NÃO ME CHAMEM DE POETA


Não me chamem de poeta
porque poeta é aquele
que nas palavras liberta com ardor
essa dor com que se alimenta
e nela se inspira
para falar de amor,
sofrimento calado, gravado
nas folhas dum livro qualquer
guardado, esquecido, sem vida.
Eu não tenho a cor
não sou verso, não sou pássaro
engaiolado, incapaz de voar,
eu simplesmente não voo,
sou prisioneiro desta vida
já sem sonhos p'ra sonhar,
perdido na multidão
d'outros tantos como eu;
um falhado, sobrevivente,
quem sabe?, náufrago...
mas poeta?... Nunca!
Como pode ser poeta
alguém que hoje dorme
apenas para não sonhar?

Sem comentários:

Enviar um comentário