quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

JUNTO À ÁGUA

Sentada junto à água
recebe o vento na cara,
não tira ainda a camisola.
Sentada junto à água
chamam-lhe louca, alienada,
tem corpo de sereia
e mente de criança,
faz desenhos na areia.
Sentada junto à água
conta as ondas do mar,
ri de tudo e de nada, não fala
escuta e não ouve nada,
só a voz do mar.
Sentada junto à água
na areia molhada da praia
a brisa osculando-lhe a pele,
ela espera inconformada
por alguém que não vai voltar...
à praia, onde ela espera,
sentada junto à água.

Sem comentários:

Enviar um comentário