quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

ESSA TRISTE E LEDA MADRUGADA

Essa triste e leda madrugada
em que em meus braços tu pediste para ser minha,
parámos a noite, parímos magia
amargurada nostalgia em que a recordo,
os teus olhos nos olhos meus
uma boca que te implorava para ficar
mas tu não ficaste, partiste.
A última e a primeira
a mulher que eu mais amei
com esta maneira muito estranha
muito minha de te amar.
Agora, chora em meus braços a tua ausência
nesta triste e leda madrugada,
partiste, nunca mais voltaste
mas em meu peito destroçado tu ficaste.

Sem comentários:

Enviar um comentário